Livro do Mês: "Chaplin - Uma vida" - Stephen Weissman

Chaplin - Uma Vida
Stephen Weissman

ISBN: 9788576356837
Páginas: 320
Formato: 15,5 x 23 cm
Compre na Livraria Cultura: R$ 44,90

Teria Chaplin transformado tragédias pessoais em comédia universal, criando o Adorável vagabundo como uma paródia e uma memoração ao pai alcoólatra? Seriam as heroínas de seus filmes memórias sublimadas, parte recordadas, parte reprimidas, da mãe adorada e de vida trágica? 

Uma mistura de história social corajosa, romance e ciência médica, o livro começa com Weissman dissecando o tempestuoso cortejo e o desastroso casamento dos pais de Chaplin. Depois nos leva ao mundo do teatro de variedades vitoriano. Dá vida às ruas do sul de Londres, ao traumático orfanato Hanwell e, finalmente, por um novo ângulo, à Hollywood dos anos 1910 e 1920. 

Chaplin não foi apenas grande: ele foi gigantesco. Em um mundo arruinado pela guerra, ele trouxe o som do riso e alívio para tantas pessoas que necessitavam de alento durante períodos tão dilacerantes como a Primeira Guerra Mundial e a Grande Depressão. 

Ao apresentar uma investigação sobre a trajetória de Chaplin e as fontes de sua genialidade, Stephen Weissman explica, de maneira detalhada e fascinante, como a infância trágica formou a personalidade e a arte daquele que é considerado um gênio atemporal. 

Chaplin disse mais sobre o amor do que muitas pesquisas sérias sobre o assunto. – Woody Allen
Sabe quando você não espera muito de um livro e acaba surpreendido por uma agradável leitura? Essa biografia autorizada do melhor comediante do cinema de todos os tempos foi a minha boa surpresa do mês.

Eu não sabia nada sobre Charles Chaplin e fiquei fascinada com cada relato da sua história. O autor, um psiquiatra que pesquisou a vida de Chaplin durante anos, faz uma espécie de análise psicológica do gênio, tentando interligar sua vida e sua arte, sendo sempre a primeira inspiração para segunda.

Seu pai Charlie Chaplin Jr. e sua mãe Hannah Hill (Lily Harley - nome artístico) eram londrinos e loucos pelo teatro. Conheceram-se em 1881, dois adolescente sonhadores, artistas em busca da fama.

As idas e vindas do casal. O alcoolismo do pai. Os momentos de pobreza que viveu ao lado da mãe e do irmão mais velho. Seu período no orfanato. Sua tentativa de ser um ator dramático vencida por seu talento para cenas de comédia... e o livro segue intercalando relatos e momentos de Chaplin exemplificadas com suas próprias palavras em inúmeros momentos de sua trajetória. 
Chaplin coloca nos momentos mais duros de vida, o teatro, a imaginação, a arte como ponto de equilíbrio, o porto seguro, a luz da salvação. O riso como cura para dor. Uma linda lição de vida e determinação. E fica aquele sentimento de que realmente a arte nos salva dos nossos piores momentos e engrandece os melhores.
Foi maravilhoso conhecer mais desse gênio do cinema e depois de ler o livro, corri para o Youtube para ver os filmes de Chaplin e separei esse vídeo para vocês... boas gargalhadas :D

Postagens mais visitadas